mais sobre mim

subscrever feeds

links

pesquisar

 

arquivos

Quinta-feira, 14 DE Dezembro DE 2017

Retrato


Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida
a minha face?

Cecília Meireles

tags:
publicado por pimentaeouro às 22:14
Terça-feira, 29 DE Agosto DE 2017

Sofrimento #4

sofrimento.jpg

 

A minha infeliz mulher sofre em silêncio. Há nove anos que tem uma doença rara e há 4 anos que sofre de dor crónica que lhe reduz a mobilidade.

Vivo angustiado e commedo do que lhe irá acontecer.

 

publicado por pimentaeouro às 22:03
Sábado, 17 DE Junho DE 2017

Beethoven

 

tags:
publicado por pimentaeouro às 21:54
Segunda-feira, 01 DE Maio DE 2017

Sabedoria

Desde que tudo me cansa, 

Comecei eu a viver.
Comecei a viver sem esperança...
E venha a morte quando
Deus quiser.

Dantes, ou muito ou pouco,
Sempre esperara:
Às vezes, tanto, que o meu sonho louco
Voava das estrelas à mais rara;
Outras, tão pouco,
Que ninguém mais com tal se conformara.

Hoje, é que nada espero.
Para quê, esperar?
Sei que já nada é meu senão se o não tiver;
Se quero, é só enquanto apenas quero;
Só de longe, e secreto, é que inda posso amar. . .
E venha a morte quando Deus quiser.

Mas, com isto, que têm as estrelas?
Continuam brilhando, altas e belas.

José Régio, in 'Poemas de Deus e do Diabo'
tags:
publicado por pimentaeouro às 20:40
Quarta-feira, 29 DE Março DE 2017

Sofrimento #3

Assisto impotente e angustiado ao sofrimento da minha mulher, apenas posso dar-lhe carinho e tratar dos trabalhos domésticos.

O rosto alegre e sorridente que conheci durante décadas foi substituído por um rosto marcado pela dor e pelo sofrimento.

A vida nunca me pareceu tão incerta e penosa. Que futuro espera a minha mulher?

publicado por pimentaeouro às 22:28
Segunda-feira, 20 DE Março DE 2017

Puccini -Tosca

 

tags:
publicado por pimentaeouro às 23:54
Quarta-feira, 01 DE Março DE 2017

Sofrimento #2

 Resultado de imagem para sofrimento

 

Não tenho palavras para descrever o sofrimento da minha infeliz mulher. Sofre de neuratapia periférica (membros inferiores) há cerca de 10 anos e com o agravamento progressivo da doença, que não tem cura, sofre de dor cronica há cinco anos.

A nossa vida está reduzida quase a metade. Com frequência a minha mulher tem que se deitar durante o dia, exausta de dor. Adormece e enquanto dorme não sofre e não vive: dor e sofrimento, dor e sofrimento, dor e sofrimento é a sua infeliz vida.

Os filhos não querem saber da mãe, outro sofrimento, e eu não consigo entender este comportamento. 

É uma tragédia que se abateu sobre a vida da minha mulher e nada há que eu possa fazer para além de procurar facilitar-lhe a vida. É o maior drama de toda a minha vida e já passei por vários.

publicado por pimentaeouro às 19:39
Terça-feira, 21 DE Fevereiro DE 2017

Mozart

 

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 00:19
Sábado, 04 DE Fevereiro DE 2017

Envelhecer

Eu e a velhice, frente a frente. Lentamente, mas com persistência, a decadência apodera-se de mim: aumentam as disfunções,  órgãos que já não conseguem desempenhar eficazmente as suas tarefas ( audição, vista e outros).

Mais velho, mais limitado: a energia, a vontade, a esperança esmorecem.

A vida vai ficando distante.

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 19:16
Sábado, 28 DE Janeiro DE 2017

Sofrimento

Resultado de imagem para sofrimento 

 

Há dez anos que a minha mulher sofre de neuropatia periférica, uma doença rara, sem cura e sem medicação especifica. Afecta-lhe os pequenos nervos das pernas e caminha «sobre brasas»: há cinco anos que a dor tornou-se crónica, dói todos os dias, apenas nuns dias dói menos, noutros dias dói mais, assim até à morte se a doença não se agravar, coisa que os médicos não sabem.

Tem o sofrimento estampado no rosto e está muito magra e debilitada. Não acredito em Deus para pensar que é um castigo para ela e para mim e também não é conhecida a causa da doença, é uma tragédia que se abateu sobre nós. 

Apesar do sofrimento consegue ter boa disposição, eu não, sei que está a sofrer. Num comportamento inqualificável os dois filhos não querem saber da mãe, não sei como se pode ser tão desumano.

Nunca imaginei que a minha velhice pudesse ser tão triste.

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 18:50
Terça-feira, 17 DE Maio DE 2016

Primavera

É Primavera agora, meu Amor!

O campo despe a veste de estamenha;

Não há árvore nenhuma que não tenha

O coração aberto, todo em flor!

 

Ah! Deixa-te vogar, calmo, ao sabor

Da vida ... não há bem que nos não venha

Dum mal que o nosso orgulho em vão desdenha!

Não há bem que não possa ser melhor!

 

Também despi meu triste burel pardo,

E agora cheiro a rosmaninho e a nardo

 E ando agora tonta, à tua espera ...

 

Pus rosas cor-de-rosa em meus cabelos ...

 Parecem um rosal! Vem desprendê-los!

Meu Amor, meu Amor, é Primavera! ...

 

Frolbela Espanca

 

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 20:42
Domingo, 24 DE Abril DE 2016

Poema do silencio

 

Sim, foi por mim que gritei.
Declamei,
Atirei frases em volta.
Cego de angústia e de revolta.

Foi em meu nome que fiz,
A carvão, a sangue, a giz,
Sátiras e epigramas nas paredes
Que não vi serem necessárias e vós vedes.

Foi quando compreendi
Que nada me dariam do infinito que pedi,
-Que ergui mais alto o meu grito
E pedi mais infinito!

Eu, o meu eu rico de baixas e grandezas,
Eis a razão das épi trági-cómicas empresas
Que, sem rumo,
Levantei com sarcasmo, sonho, fumo...

O que buscava
Era, como qualquer, ter o que desejava.
Febres de Mais. ânsias de Altura e Abismo,
Tinham raízes banalíssimas de egoísmo.

Que só por me ser vedado
Sair deste meu ser formal e condenado,
Erigi contra os céus o meu imenso Engano
De tentar o ultra-humano, eu que sou tão humano!

Senhor meu Deus em que não creio!
Nu a teus pés, abro o meu seio
Procurei fugir de mim,
Mas sei que sou meu exclusivo fim.

Sofro, assim, pelo que sou,
Sofro por este chão que aos pés se me pegou,
Sofro por não poder fugir.
Sofro por ter prazer em me acusar e me exibir!

Senhor meu Deus em que não creio, porque és minha criação!
(Deus, para mim, sou eu chegado à perfeição...)
Senhor dá-me o poder de estar calado,
Quieto, maniatado, iluminado.

Se os gestos e as palavras que sonhei,
Nunca os usei nem usarei,
Se nada do que levo a efeito vale,
Que eu me não mova! que eu não fale!

Ah! também sei que, trabalhando só por mim,
Era por um de nós. E assim,
Neste meu vão assalto a nem sei que felicidade,
Lutava um homem pela humanidade.

Mas o meu sonho megalómano é maior
Do que a própria imensa dor
De compreender como é egoísta
A minha máxima conquista...

Senhor! que nunca mais meus versos ávidos e impuros
Me rasguem! e meus lábios cerrarão como dois muros,
E o meu Silêncio, como incenso, atingir-te-á,
E sobre mim de novo descerá...

Sim, descerá da tua mão compadecida,
Meu Deus em que não creio! e porá fim à minha vida.
E uma terra sem flor e uma pedra sem nome
Saciarão a minha fome.

 

 

José Régio

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 12:15
Sábado, 09 DE Abril DE 2016

Lembras-te Julieta? #2

 

Regressas-te a Portugal para te refugiares na serra de Sintra, da Sintra dos teus enleios.

Sei que não voltarei a ver-te, que morrerei sem realizar esse desejo. Recordo com saudade os passeios que demos neste jardim vão decorridos cerca de 60 anos.

Naquela época éramos dois jovens que desejávamos amar-nos num namoro de final muito triste: não merecia-nos que a vida fosse para nós uma madrasta vil, cruel.

A tua memória partirá comigo para uma viagem sem tempo.

 

tags:
publicado por pimentaeouro às 21:08
Quarta-feira, 24 DE Fevereiro DE 2016

Lembras-te Julieta?

tags:
publicado por pimentaeouro às 20:19
Terça-feira, 26 DE Janeiro DE 2016

Pergolesi

 

 

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 21:10

pesquisar

 

Dezembro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro