Dói

 

 


A morte não me causa medo nem angustia, aguardo que Ela venha e me leve. Os meus ascendentes já faleceram todos. Recordo em primeiro lugar a minha mãe, uma mulher infeliz que me deixou a marca da sua tristeza; recordo o meu avó Barroso, um homem inteligente, culto e ateu, republicano convicto; recordo a minha tia Maria do Carmo e o marido Joaquim Soeiro, um lobo do mar anónimo que gostavam de mim, e o meu tio João Barroso que me ajudou; recordo todos com muita saudade.

Recordo amigos da minha idade, aproximadamente, já falecidos; em primeiro lugar Fernando Canais Rocha, um homem tranquilo, contente com a vida e um amigo sincero; Bartolomeu Dias, colega e trabalho e que me ajudou na adolescência.

Recordo também amigos que faleceram precocemente; António Graça, inteligente, conversador incansável, barbaramente torturado pela PIDE, Caiano Pereira, companheiro nas lides sindicais, simpático para toda a gente, Manuel Candeias, colega de trabalho, um homem infeliz que vivia um amor ausente. Perdi todos  e também partes de mim; a minha solidão aumentou.

A minha partida não demorará e quando ocorrer irei para uma estrela fazer companhia a todos os meus amigos, numa divertida tertúlia, retomar as nossas conversas alegres e despreocupados de quando tínhamos vinte anos.

publicado por pimentaeouro às 14:04