Memória ou as memórias


Habitualmente usamos a palavra memória mas na verdade existem vários tipos de memória e situadas em zonas diferentes do cérebro.

Já referi várias vezes que sou um «doente» da memória, provavelmente por causa de uma operação que fiz quando era criança seguida uma amnésia aos 8 ou 9 anos.

A partir daqui, a Vida disse-me: vai, vai para onde quiseres mas só terás metade da memória.

 As minhas memórias autobiografia e de longa duração tem grandes lacunas, pedaços de vida que a natureza me roubou e contra isto nada ou muito pouco posso fazer, só a ajuda de outros me poderá levar a recuperar o que a natureza me roubou: não é fácil para mim lidar com esta limitação.

Provavelmente não terá nenhuma influência, mas a hipótese de ter, ou vir a ter, a doença de Alzheimer é coisa que admito.

Há certas profissões que desenvolvem extraordinariamente a memória: músicos, actores, xadrezistas, etc. E também há indivíduos dotados de memória extraordinária, tudo coisas que a ciência ainda não explica.

A mesma natureza resolveu dar-me uma compensação, a minha memória semântica (aquela que nos dá uma visão geral da vida e do mundo) não é má de todo.

Pensando melhor, perceber como vai o mundo, nos dias de hoje, não será mais um castigo? Tudo isto deve ser a cobrança dos meus erros e pecados pois agora só me apetece estar sossegado e ver «a banda passar».  Chegou a vez da nova geração entrar em cena.

 

 

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 20:00