Perdigão

 

Perdigão perdeu a pena

Não há mal que lhe não venha.

 

Perdigão que o pensamento

Subiu a um alto lugar,

Perde a pena do voar,

Ganha a pena do tormento.

Não tem no ar nem no vento

Asas com que se sustenha:

Não há mal que lhe não venha.

 

Quis voar a u~a alta torre,

Mas achou-se desasado;

E, vendo-se depenado,

De puro penado morre.

Se a queixumes se socorre,

Lança no fogo mais lenha:

Não há mal que lhe não venha.

 

                  Luís de Camões

 

Fui Perdigão mas nunca em pensamento subi a um alto lugar. Fui o acaso da vida que me colocou no teu caminho. Naquela distante época eu não sabia que existiam classes sociais, eras «filha de família» (classe média) e eu não pertencia a classe nenhuma, as classes tem margens mal defenidas, para baixo e para cima, e eu apenas estava acima da pobreza, num limbo mal defenido.

Apesar disto decidis-te com o coração, esqueces-te a razão e pagas-te um preço elevado.

tags: ,
publicado por pimentaeouro às 01:05